Seguidores

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Gullar


Vivo a pré-história de mim
por pouco pouco
eu era eu
José de Ribamar Ferreira Gullar
não deu
o Gullar que bastasse
não nasceu.


*****


Não preciso nem dizer o nome do autor, ele próprio já disse.
Descobri Gullar há bastante tempo, um dos maiores poetas de nossa literatura. Hoje, ele completa 80 anos, e é justíssima essa homenagem.
Transcrevo aqui com muito orgulho o primeiro poema que me seduziu. Exatamente, porque insinua um conflito: onde estou, para onde vou, quem sou eu, sou isso ou aquilo? Os nossos paradoxos, quem não os têm? Mas você, Gullar , tenha certeza de que é feito de muitas partes. Você é múltiplo.


Traduzir-se


Uma parte de mim é todo mundo
Outra parte é ninguém, fundo sem fundo


Uma parte de mim é multidão
Outra parte estranheza e solidão


Uma parte de mim pesa, pondera
Outra parte delira


Uma parte de mim almoça e janta
Outra parte se espanta
Uma parte de mim é permanente
Outra parte se sabe de repente

Uma parte de mim é só vertigem
Outra parte linguagem


Traduzir uma parte na outra parte
Que é uma questão de vida e morte
Será arte?

Ferreira Gullar


7 comentários:

Livinha disse...

kkkkkkkkkk
Muito bom o teu comentário, doeu na espinha...
e não é assim amiga minha?

Olha a tua postagem é aquela
curiosidade de sabermos quem somos,
e assim seguimos definindo,
methiolate ou mercúrio-cromo?
D'um jeito ou d'outro, somos vermelhos,
até que uma pele nos cubra e ainda assim
visto com preconceitos, se branco ou preto.

O poeta de fato é magistral.
maravilhoso e profundo.
Linda postagem minha querida.

Obrigado pela tua presença sempre
amiga a me transmitir tuas palavras de
apoio.

Lindo fim de semana pra ti

Bjs

Livinha

laurinhando por ai disse...

Piedade

Esta letra sempre me fascinou...
Quem não é assim??!
Eu sou...uma parte vertigem, outra delirio!
A gde sabedoria é traduzir uma parte em outra parte...
Bjos
Laurinha

Chica disse...

Realmente Gullar é maravilhoso e vale sempre lembrar!beijos,chica

Vozes de Minha Alma disse...

Oi Maria! Bom Dia.
Ele é um homem que traduz o que não conseguimos...
Por isso é ímpar, e uma mente brilhante que resgata o que temos de melhor nesse país.
Um beijo minha querida, um afetuoso abraço do teu leitor.

Zil Mar disse...

Oi...que lindo post!!!

Sempre compartilhando preciosidades...

Amei!

bjos e ótimo final de semana!

Zil

Valéria Gomes disse...

Muuito bom e como tu mesma disse, justíssima homenagem!!!

Beijos de passarinho!!!

Baby disse...

Envergonha-me dizer que não conhecia Gullar, mas nunca é tarde, fiquei apaixonada pela sua poesia tão inquietante, tão autênctica.



"Uma parte de mim é todo mundo
Outra parte é ninguém, fundo sem fundo

Uma parte de mim é multidão
Outra parte estranheza e solidão"

Obrigada por esta partilha.
Um bom fim de semana, beijos.