Seguidores

sábado, 16 de junho de 2018

Idade

Como se Morre de Velhice
Cecília Meireles

Como se morre de velhice
ou de acidente ou de doença,
morro, Senhor, de indiferença.

Da indiferença deste mundo
onde o que se sente e se pensa
não tem eco, na ausência imensa.

Na ausência, areia movediça
onde se escreve igual sentença
para o que é vencido e o que vença.

Salva-me, Senhor, do horizonte
sem estímulo ou recompensa
onde o amor equivale à ofensa.

De boca amarga e de alma triste
sinto a minha própria presença
num céu de loucura suspensa.

(Já não se morre de velhice
nem de acidente nem de doença,
mas, Senhor, só de indiferença.)

Cecília Meireles, in 'Poemas (1957)

quarta-feira, 13 de junho de 2018

histórias




"Cada um tem uma história dentro de si
que não consegue ler sozinho.
Precisa de alguém que, 
com a maravilha e o encanto nos olhos, 
a leia e lhe conte."
Pablo Neruda

terça-feira, 12 de junho de 2018

junho - mês dos namorados



Quando a luz dos olhos meus 
E a luz dos olhos teus
Resolvem se encontrar 
Ai que bom que isso é meu Deus
Que frio que me dá o encontro desse olhar 
Mas se a luz dos olhos teus
Resiste aos olhos meus só pra me provocar
Meu amor, juro por Deus me sinto incendiar
Meu amor, juro por Deus 
Que a luz dos olhos meus já não pode esperar 
Quero a luz dos olhos meus 
Na luz dos olhos teus sem mais 
Pela luz dos olhos teus 
Eu acho meu amor que só se pode achar
Que a luz dos olhos meus precisa se casar.

Vinícius de Moraes

segunda-feira, 11 de junho de 2018

esperando




Aprendi a esperar. 
Se ventos são capazes de levar embora a qualquer hora,
 também são capazes de trazer de volta.
- Florbela Espanca

sábado, 9 de junho de 2018

Salve junho!


"Ponha a saia mais leve, aquela de chita,
 e passeie de mãos dadas com o ar. 
Enfeite-se com margaridas e ternura
 e escove a alma com leves fricções de esperança. 
De alma escovada e coração estouvado,
 saia do quintal de si mesma e descubra o próprio jardim." 
Artur da Távola

terça-feira, 8 de maio de 2018

Maio

Maio chegou de mansinho
veio junto um friozinho.
Já estava na hora
eu sabia.
É assim mesmo,
todo ano ele chega
nem avisa
nós é que temos 
de correr logo
tirar do armário
nossa roupa pesada
de lã
roupa que agasalha
para não brigar com ele.
Porque ele vem sempre
  chega arrepiando o corpo
o coração
a alma.
E ainda traz de companhia
seu par predileto:
uma chuvinha fina e fria.
Ah, Maio bonito
de sonhos e flores
de mães e de noivas
de chuva e de frio
da minha cidade
 de Nova Friburgo!
PV

quinta-feira, 26 de abril de 2018

piscadinha


Todos os dias, logo cedo
dou uma piscadinha para Deus e peço:
tomara que as nossas vontades coincidam.
E se não coincidirem,
que a sua prevaleça.
Caio F Abreu