Seguidores

terça-feira, 12 de julho de 2011

Soneto do maior amor

Maior amor nem mais estranho existe
que o meu, que não sossega a coisa amada
e quando a sente alegre, fica triste
e se a vê descontente, dá risada.
E que só fica em paz se lhe resiste
o amado coração, e que se agrada
mais da eterna aventura em que persiste
que de uma vida mal-aventurada.
Louco amor meu, que quando toca, fere
e quando fere vibra, mas prefere
ferir a fenecer - e vive a esmo
fiel à sua lei de cada instante
desassombrado, doido, delirante
numa paixão de tudo e de si mesmo.
Vinicius de Moraes

8 comentários:

✿ chica disse...

Lindo poema esse e adorei a tua novidade boa lá;beijos,tudo de bom,chica

valquiria disse...

Esse amar assim é remedio e veneno, fogo e água, tudo e nada, e as vezes nos afoga.


beijos amiga com saudades.

Toninhobira disse...

Uma linda ilustração do amor maior e sublime, que nos leva a uma bodas de ouro ou parecida.Revivi as bodas de ouro de meus pais.Um amor maior, que se renova acima de todas as mazelas desta vida.É o belo momento de reafirmar numa linda cerimonia, que o amor é possivel,quando suas pessos entram em sintonia.
Muito bom minha amiga Piedade.
Meu abraço de paz.
Bju de luz.

Andradarte disse...

Gostei da escolha....Contrastes...
Beijo

Marcos de Sousa disse...

Preciso dizer que Vinícius é o cara?

Lindíssimo.

Antônio Lídio Gomes disse...

Oi Piedade.
Venho agradecer tua visita.
Venho apreciar este poema que você selecionou para nossas almas.
E Vinícius é uma escolha e tanto.
Beijos.

Luís Coelho disse...

Bonito poema.
O amor tem destas cores
Faz-nos correr parados
Sofrer alegres
Morrer contentes

Meias de Seda (Suzy) disse...

Amiga, Vinícius era genial e nos deixou um legado maravilhoso de músicas e poemas!
Aliás, achei muito divertido seu comentário sobre o "Desespero da Piedade"...rsrs

Minha querida, obrigada pela carinhosa mensagem de aniversário!

Beijo grande ;)