Seguidores

terça-feira, 27 de julho de 2010

A canção do amor



Um poeta, certa vez, escreveu uma canção de amor, e esta era bela. E ele tirou muitas cópias e as enviou aos seus amigos e conhecidos, homens e mulheres, e até a uma jovem com quem só se havia encontrado uma vez,e que vivia além das montanhas.


E, em um dia ou dois, veio um mensageiro da jovem trazendo uma carta. E a carta dizia:"deixa-me dizer-te, estou profundamente comovida pela canção de amor que escreveste para mim. Vem logo, fala com meu pai e minha mãe, e tratemos dos preparativos para as bodas."


E o poeta respondeu à carta, dizendo à moça:"Minha amiga, isso não era senão uma canção de amor saída do coração de um poeta, cantada por qualquer homem para qualquer mulher."


E ela escreveu-lhe novamente, dizendo: "Hipócrita e mentiroso em palavras. De hoje até o dia do meu enterro, odiarei todos os poetas por tua causa."

COMO É LIMITADA A VISÃO QUE EXALTA A OPEROSIDADE DA FORMIGA ACIMA DO CANTO DO GRILO!
Gibran


**********

Um beijo cheio de olhares apaixonados no coração de todos os meus amigos, homens e mulheres.
Estarei fora por alguns dias, não me enviem cartas com pedidos de comprometimento, porque já estou comprometida. Mas, receberei com carinho e com muito amor todas as canções que me enviarem, porque amo-os demais e não sei mais viver sem vocês.

3 comentários:

Valéria Gomes disse...

Amigo é coisa prá se guardar
Embaixo de sete chaves
Dentro do coração
Assim falava a canção
Que na América ouvi
Mas quem cantava chorou
Ao ver seu amigo partir
E quem ficou
No pensamento voou
Com a lembrança que o outro deixou
Pois seja o que vier
Venha o que vier
Qualquer dia amigo
A gente vai se encontrar
Qualquer dia amigo
A gente vai se encontrar.

Volta logo, amiga!!!


Beijos de passarinho!!!

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo post...Espectacular....
Cumprimentos

Fabrício Santiago disse...

Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Fabrício e cheguei até vc através do Blog Vozes da Minha Alma. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir meu blog Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. Estou me aprimorando, e com os comentários sinceros posso me nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs



Narroterapia:

Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.


Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.


Abraços

http://narroterapia.blogspot.com/