Seguidores

terça-feira, 6 de março de 2012

canção da metade

A metade do caminho, para o homem, é o melhor estado, 
quando o passo mais lento lhe autoriza a calma. 
Um amplo mundo jaz entre o céu e a terra. 
Viver a meio caminho entre o campo e a cidade, 
ser metade estudioso e metade proprietário e metade negociante, viver metade como os nobres e metade como a gente comum, possuir uma casa que é metade luxuosa e metade singela, meio mobiliada e meio desnuda, 
vestuários que não são velhos nem novos, 
e a comida metade epicúrea e metade vulgar ... 
Ter serventes nem muito hábeis nem muito tolos, 
e uma esposa que não é nem demasiado simples nem demasiado sabida ... 
Então sinto no coração que sou pela metade um Buda e quase pela metade um santo espírito taoísta. 
A metade de mim ao Céu nosso pai devolvo, 
a outra metade a meus filhos deixo ... 
Metade pensando como prover à minha posteridade 
e metade pensando como defrontar-me com o Senhor dos Mortos.¿ 
É mais prudente ébrio, quem é metade ébrio; 
e as flores meio abertas são mais belas. 
Como navegam melhor os barcos a meia vela, 
e melhor trota o cavalo a meia rédea! 
Quem tem uma metade demais, que ansiedade! 
Mas quem tem de menos, com mais fervor possui a sua metade. 
Pois a vida é feita de amargor e doçura, 
e é mais sábio e mais hábil quem só lhes prova a metade

Li Mi-an

3 comentários:

✿ chica disse...

Lindo texto e imagem maravilhosa! beijos,tudo de bom,chica

Lilá(s) disse...

Gostei da canção, muito me disse...
Bjs

Aaliyahrj disse...

Adorei a reflexão, Piedade! Acho que somos sempre metades.
Bjoks