Seguidores

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

insustentável


"O homem, bobo da sua aspiração, sombra chinesa da sua ânsia inútil, segue, revoltado e ignóbil, servo das mesmas leis químicas, no rodar impertubável da terra, implacavelmente em torno a um astro amarelo, sem esperança, sem sossego, sem outro conforto que o abafo de suas ilusões da realidade e a realidade das suas ilusões. Governa estados, institui leis, gera guerras, deixa de si memórias de batalhas, versos, estátuas e edifícios. A terra esfriará sem que isso valha. Estranho a isso, estranho desde a nascença, o sol um dia, se alumiou, deixará de alumiar, se deu vida, dará a si outra morte".
Fernando Pessoa



Em breves palavras, uma grande reflexão para nós que, infelizmente, estamos contribuindo com essa perda.

6 comentários:

Apenas eu disse...

tal e qual. Fernando Pessoa fez-me rever tudo de trás para a frente.
o Homem é capaz de tudo. do melhor e do pior.
tem é uma visão muito curta... é como se não visse ao longe... e esse longe está cada vez mais perto...

gostei muito deste bocadinho.
beijinhos

Baby disse...

Fernando Pessoa sempre soube!"O homem, bobo da sua aspiração", jamais conseguirá, não obstante a sua luta permanente, evitar o fim inexorável.

Beijos.

Vivian disse...

...ele aprendeu a morrer dia a dia,
e portanto viveu plenamente.

um beijo, querida!

sua visita sempre será
o melhor presente lá
em casa.

Blog da Joaninha disse...

Grande Fernado Pessoa nos encantando com tão sábias palavras.
Piedade lindo!!!
Tb venho agradecer os carinhosos comentários no meu cantinho, bjs no seu coração!!!

Flor da Vida disse...

Um lindo e profundo poema de Fernando Pessoa...
E muito reflexivo também... Amiga, obrigada por
compartilhar! A ti deixo um abraço e meu carinho... Bjsss

Valéria Gomes disse...

Somos tolos e egocêntricos.

Beijos, amigas!!!