Seguidores

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

As farpas do grande Eça


O grande escritor português Eça de Queiroz, autor do genial "O primo Basílio", nasceu no dia 25 de novembro, e, em homenagem a ele e a todos os meus amigos virtuais da nação ibérica, esse texto maravilhoso do autor escrito em 1871.



"O país perdeu a inteligência e a consciência moral. Não há princípio que não seja desmentido nem instituição que não seja escarnecida. Já não se crê na honestidade dos homens públicos. A classe média abate-se progressivamente na imbecilidade e na inércia. O povo está na miséria. Os serviços públicos, abandonados a uma rotina dormente. O desprezo pelas ideias aumenta a cada dia. A agiotagem explora o juro. A ignorância pesa sobre o povo como um nevoeiro. O número das escolas é dramático. A intriga política alastra-se por sobre a sonolência enfastiada do país. Não é uma existência; é uma expiação. Diz-se por toda a parte: "O país está perdido!" Por isso, aqui começamos a apontar o que podemos chamar de "O progresso da decadência"."



Não é simplesmente interessante e super atual essa pérola do Eça?

Principalmente, cá nessas terras de além mares, cujo nome é Brasil.

4 comentários:

Chica disse...

Parece ter sido escrito ontem.Lindo!Bem lembrado! beijos,chica

Lilá(s) disse...

Muito actual mesmo! boa escolha.
Beijinhos

Graça disse...

Olá, minha amiga!!!

Acho que foi Lima Barreto que disse: "Bem considerando, a atualidade é a mesma, em todas as épocas"...
E você, com essa 'pérola' do Eça fechou com tudo, mesmo! Realmente, atualíssimas, as palavras desse mestre.
Parabéns pela escolha.
Agradeço suas amáveis visitas, sempre!
Um grande e terno abraço!

Vivian disse...

...só faltou ele profetizar o caos
que se instalaria no Rio de Janeiro,
cidade maravilhosa e que não merecia
ser conhecida pela bandidagem imperante.

bj querida!