Seguidores

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Peeling da alma


Disseram-me assim:
"estás envelhecendo."
Olhei minhas mãos
calejadas
enrugadas
que não estão cansadas
para um aperto de mão.
Meus pés
que outrora
corriam ligeiros
levam meus passos agora
lentos na imensidão.
Meus olhos
já turvos
não vejo tão longe
como antes
concordo, tens razão.
Mas ouço bem
quando vens
ao meu encontro
e de braços abertos
te recebo e te abraço
pois precisas de mim.
Que me importa
se o tempo está passando
e me levando
respondo-te assim.
Resta-me ainda
cheia de vida
uma alma linda
separada
que não se prende a nada
não se esconde
nem vive maquiada.
Uma alma que sente
não se ressente
e nunca envelhece
dentro de mim.
Quem precisa
de um peeling na alma
minha amiga,
certamente é você.
(pv)

3 comentários:

Andréa Amaral disse...

Piedade minha amiga,seu verve literário neste poema só vem a nos mostrar que graças aos passos que voce dá, aos olhares sábios com que enxerga tudo , aos braços amorosos que abraçam o mundo, a alma florida , sincera e expansiva e ao conjunto deste todo que a torna tão sábia, é que você jamais envelhecerá.
Velho é quem enxerga a vida com olhos míopes, passos falsos e braços frouxos. Minha favorita até agora, embora eu goste de todos os seus textos. Arrasou! Parabéns.

Camilíssima disse...

Piedade, que lindo texto!!! Tem um selo pra vc lá na minha Caixa de Pandora, passe por lá! Beijos!
http://camilissimafurtado.blogspot.com

Helena Carvalho disse...

Quem olha as mãos maduras com os olhos da alma, percebe que elas não têm idade. Têm capacidade. Adorei o texto. Parabéns.