Seguidores

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

O rio


Que rio é esse que avançou sobrenatural

sobre o meu rio calmo e dormente no seu leito?

Esse é outro, feroz, avassalador, chegou sem avisar

se apossou de suas entranhas

o violentou.

Veio se contorcendo

doendo

esbravejando

alagando

destruindo

possuindo.

Na escuridão, seu barulho ensurdecedor

apavora

traz dor

ignora o meu grito

meu pranto doído.

Ai, meu Deus!

O silêncio é mortal

conto os minutos, os segundos

a hora não passa.

Quero sair daqui

estou viva...

confusa...

Não sei

Não penso

Não sou

Confundo-me...

Estou rio...

(pv)

10 comentários:

ELIANA-Coisas Boas da Vida disse...

É AMIGA A FORÇA DA NATUREZA AS VEZES NOS AMEDRONTA E FAZ SOFRER!

AC disse...

Piedade,
A dor custa a passar, as feridas da alma ainda são visíveis...
Tudo passa, tudo tem que passar, pois a vida não se esgota num episódio. Que, contudo, há-de ficar na memória.
Que a vida retorne com o seu melhor sabor!

Beijo :)

Toninhobira disse...

Oi AMIGA que bom ver voce de volta, posso imaginar o que se passa.Sonhos perdidos e esmagados e empurradas por meio de lamas.Há que se engravidar de uma nova esperança.Mas a natureza com os desmandos dos homens, nos tem pregado cada peça terrivel.Meu abraço de paz e luz.Bom te ver de novo.Bju de luz e paz nos seus dias

Franck disse...

Que lindo! Os rios e suas águas! Os rios e suas alegrias e dores! Aqui, noite chuvosa...
Paz!

Valéria Gomes disse...

Que lindo, amiga!!!

Beijos de passarinho!!!

Vida disse...

Olá, boa tarde. Estou há horas no seu blog...sim, há horas, me deliciando com poemas, crônicas, citações que me encantam pela beleza da escolha e pela mensagem retratada. Obrigada, muito obrigada. Fica sempre em paz e com Deus....Sandra.

Zil Mar disse...

Oi querida amiga...

Desejo que os dias sejam de sol...as noites de paz...que DEUS cuide de todos vcs!

Volte como vc quiser e puder...mas Volte...

bjos e meu carinho!

Zil

laurinhando por ai disse...

Boa noite, Piedade!!!

Poesia forte num grito de dor.

Para aquele que tem a poesia no coração não há tragédia que tire a esperança de um novo recomeço.
Há que se fazer da dor a poesia ...
Nesta vida todas as dores e feridas passam e essa tb vai passar e acalmar teu coração.
Bjos carinhosos e solidários
Laurinha

Vieira Calado disse...

Quando o rio se lembra de engossar...

temos sarilhos à vista...

Beijinhos

Lilá(s) disse...

A força da natureza impõe respeito, a dor essa leva tempo a passar, um dia será apenas uma memória, até lá resta recomeçar e coragem , muita coragem.
Um grande beijinho